Enem 2016

Enem 2016 comprovação do vazamento das provas

1 de dezembro de 2016

Enem 2016 comprovação do vazamento das provas, pois o Ministério Público Federal (MPF) informou nesta quinta-feira, 1º de dezembro; que recebeu relatório da Polícia Federal (PF); que aponta que houve vazamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2016).

Enem 2016 comprovação do vazamento das provas

De acordo com o MPF, no relatório do inquérito; a Polícia Federal afirma que as provas do primeiro e do segundo dia do exame, além da redação, vazaram antes do início da aplicação para, pelo menos, dois candidatos.

Ainda conforme o MPF, no texto a PF expressa sua convicção de que houve crime de estelionato qualificado. Conforme ações da PF, no domingo 6 de novembro; segundo dia de provas do Enem, candidatos foram presos no Ceará e no Amapá flagrados com o tema da redação.

Na cidade de Fortaleza, a polícia encontrou no bolso de um homem de 34 anos o tema e um texto pronto para ser transcrito. Ele ainda recebeu o gabarito pelo celular e usou também ponto eletrônico na sala do exame.

Em Macapá, um homem de 31 anos foi preso logo depois de deixar o local de prova. Ele confessou que sabia previamente o tema da redação. Com ele, foi encontrado um texto com o assunto “intolerância religiosa”; aplicado no Enem a quase 6 milhões de candidatos em todo o país.

Em conformidade com as informações do MPF “Uma quadrilha organizada nacionalmente teve acesso antecipado às provas. Isso compromete a lisura do exame e a própria credibilidade da logística de segurança que vem sendo aplicada”, afirmou o procurador.

De acordo com a nota do MPF, em um trecho do relatório a PF destaca que;, após a análise de celulares apreendidos, “concluiu-se que os candidatos receberam fotografias das provas e tiveram acesso aos gabaritos e ao tema da redação antes do início do exame”.

 Código Prova Rosa

Conforme nota do MPF, a polícia afirma que os candidatos tiveram acesso à “frase-código” da prova rosa; o que permitia que candidatos que deveriam fazer provas diferentes da rosa; pudessem preencher o cartão de respostas de acordo com o gabarito transmitido pela quadrilha; não importando a cor da prova que o candidato tenha recebido no exame, já que a frase-código é o que legitima a correção conforme a cor referente à frase.

“Tanto o gabarito quanto a frase-código foram divulgados antes do exame, o que garante a responsabilidade de afirmar que houve vazamento da prova”, segundo informações do relatório.

A Polícia Federal aponta ainda, que apesar de dois candidatos terem sido presos em operações policiais diferentes; ambos receberam exatamente as mesmas fotografias com gabaritos das provas; porém de intermediários diferentes, o que indica que a origem do vazamento é a mesma.

Quanto à prova de redação, a perícia da PF identificou que os candidatos presos iniciaram pesquisas no Google sobre o tema da redação a partir de 9h38 do dia 6 de novembro, indicando que tiveram acesso ao tema antes do início da aplicação das provas.

Fonte Globo.com

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.